Conselho de Educação de Adultos da América Latina (CEAAL)

domingo 18 de Março de 2012

Rua: Vía Cincuentenario No. 84B, Coco del Mar
Corregimiento de San Francisco, Panamá
Panamá.

Telefone: (507) 270-1084 / (507) 270-1085

Fax: (507) 270-1084 / (507) 270-1085

Caixa Postal: Apdo. 0831-00817

E-mail: info@ceaal.org

Contato: Celina Valadez

CE-mail contato: celinavaladez@yahoo.com

Surgimento: As origens datam de 1978, no marco da expansão dos movimentos sociais e das exposições em torno da educação em nível internacional e especialmente da educação popular na América Latina. Em 1980, na Conferência Mundial sobre Educação para Todos, realizada em Jomtien, Tailândia, coloca-se a necessidade de contar com uma rede latino-americana para fortalecer a ação educativa a partir da sociedade civil. Em 1982, formaliza-se a criação do CEAAL.

Foi fundada por um grupo de educadores e educadoras de diferentes países: entre eles merecem destaque Paulo Freire, Orlando Fals Borda, Francisco Vio Grossi, Arlés Caruso, Francisco Gutiérrez, Carlos Rodriguez Brandão, Moema Viezer. Em seu momento, foi condizente com a necessidade de fortalecer a articulação da educação popular na América Latina, a intenção de produzir conhecimentos pertinentes para os movimentos sociais e a conjuntura de incidir no debate sobre políticas educativas em nível internacional. As principais mudanças ocorridas na história do CEAAL têm diversas motivações, algumas internas, para fortalecer o funcionamento da rede; outras externas, que exigiram adequações aos enfoques e programas.

A seguir, mencionamos as principais mudanças para fortalecer o funcionamento da rede:
1987: A primeira assembléia continental fortalece a direção coletiva da rede e se estabelece a assembléia geral dos centros filiados, como instância máxima de decisão e definição das principais orientações da rede.
1990: As regiões se constituem como instâncias formais de organização como uma maneira de envolver diretamente os filiados no processo geral do CEAAL. 1997: O procedimento de eleição da diretiva se reforma, para abrir a possibilidade de uma disputa eleitoral maior, e dar maior cabida às diferentes lideranças do CEAAL. Decide-se também que a secretaria geral (instalada em Santiago do Chile desde as origens do CEAAL) será itinerante dependendo do país em que viva a pessoa que for eleita para esta responsabilidade. Hoje em dia, as principais responsabilidades dentro do CEAAL recaem em pessoas que, em muitos casos, se formaram como fundadoras e fundadores.

Mudanças para adequar enfoques e programas:
1994: Começa um processo de revisão intelectual dos novos desafios e exposições em torno da educação popular, conhecido como “processo de re-fundamentação”, no âmbito das mudanças que desde o começo dos 90 estavam ocorrendo no mundo e sob o predomínio do neoliberalismo e do chamado “pensamento único” que negava as possibilidades de pensamentos alternativos e utópicos de mudança social.
1997: CEAAL abre-se a relações mais vastas com organismos multilaterais para impulsionar as exposições internacionais que focavam a educação no debate sobre os modelos de desenvolvimento. Há maior cooperação e trabalho conjunto principalmente com a UNESCO. De um lado, esta dinâmica projeta CEAAL aos espaços de debate internacional. Do outro, exige o desenvolvimento das discussões para incidir nas políticas públicas.
2000: CEAAL dá prioridade a quatro linhas de incidência merecendo destaque seu perfil educativo, o fato de ser uma rede continental de ONGs que contribui para o debate sobre o auge da sociedade civil e o serviço aos processos locais de empoderamento das organizações sociais e os governos democráticos.
2004: Na 6ª Assembléia Geral ocorrida em Recife, Brasil, as diretrizes emanadas expressam grande expectativa quanto ao fortalecimento da dinâmica interna do CEAAL. No específico, busca-se maior envolvimento dos filiados no desenvolvimento de diferentes atividades. O fortalecimento das regiões, promovendo maior incidência na direção do processo geral do CEAAL, levando em conta as possibilidades de descentralizar o orçamento e dedicar mais verbas ao funcionamento das regiões. O funcionamento mais produtivo e sistemático do conselho diretivo como instância de direção e de tomada de decisões.

Descrição: O CEAAL é uma associação de 195 organizações civis, constituída em 1982, com presença em 21 países da América Latina e o Caribe. Seus filiados realizam ações educativas em diferentes campos do desenvolvimento social e com múltiplos sujeitos sociais. Fazem parte do que se poderia identificar como a corrente de Educação Popular na América Latina e um dos pólos dinâmicos da sociedade civil na América Latina.

Possuem experiências, capacidades e potencialidades que expressam riqueza ativa em cada país, que poderia ser fortalecida numa dinâmica de contribuições latino-americanas. Hoje em dia, contam com 21 coletivos nacionais, 6 coletivos regionais (Andino, Cone Sul, América Central, Caribe, México e Brasil) três redes temáticas (Rede de Educação Popular entre Mulheres, Rede de Educação e Poder Local, Rede de Educação para a Paz e os Direitos Humanos). O Grupo de Trabalho sobre Políticas Educativas, e Programa Latino-Americano de Apoio à Sistematização.

Objetivos:
- Fortalecer as capacidades e a formação integral dos educadores e das educadoras populares, para que possam incidir na ação de pessoas, grupos e movimentos sociais, nos diferentes âmbitos de seu quefazer educativo, na promoção de processos sócio-culturais libertadores e na elaboração de agendas e políticas públicas em favor da transformação democrática de nossas sociedades e a conquista da paz, e dos direitos.
- Aprofundar os processos de sistematização e reflexão política, ética e pedagógica das práticas dos educadores e educadoras populares, contribuindo para a articulação do seu trabalho, a produção de conhecimentos os processos formativos, com a ação de pessoas, grupos e movimentos sociais e cidadãos da região.
- Fortalecer a institucionalidade e o poder do CEAAL e de seus membros em suas capacidades de liderança, gestão de recursos, avaliação e articulação de iniciativas.
- Incidir na elaboração e seguimento de pautas, políticas públicas e projetos através do estabelecimento de alianças estratégicas com outros atores, e conquistar espaços e presença significativa nos âmbitos local, nacional e internacional.

Os eixos Programáticos estratégicos do CEAAL para 2005-2008 são:
- Eixo 1: A contribuição do CEAAL e da Educação Popular para a construção de paradigmas de emancipação. Este é o grande eixo articulador. A intenção é ligar o debate específico sobre educação popular ao debate mais amplo, sobre paradigmas novos para a justiça, a democracia, a inclusão social e uma ordem internacional mais equitativa e democrática. O desenvolvimento desta linha está norteado a incentivar o debate político e pedagógico dentro do CEAAL, em diálogo com outras instâncias da sociedade, para reconhecer as práticas e discursos sobre a educação popular na América Latina e o Caribe, em diálogo com as atuais discussões sobre novos paradigmas dentro das ciências sociais. De um lado, este debate busca sistematizar práticas relevantes dos centros filiados. Do outro, gerar espaços de aprendizado e debate sobre a orientação dessas práticas.
- Eixo 2: As Práticas da Educação Popular na Ação dos Movimentos Sociais. Vinculação com Movimentos Sociais, propostas, sistematização, integralidade, o específico educativo. Contribuir para a criação de processos democráticos, cultura política, métodos, estilos e valores da ação política. Esta linha nos coloca no âmbito dos debates sobre a sociedade civil e dos processos de fortalecimento da incidência das organizações sociais e civis. Sendo CEAAL uma rede de ONGs comprometidas com a construção de articulações da sociedade civil, enfatizamos a análise sobre o papel das ONGs e os desafios tanto de sua sustentabilidade institucional, quanto de sua projeção como ator político, em consonância com a relação histórica de serviços e apoio aos movimentos sociais e as organizações populares.
- Eixo 3. Educação Popular e Incidência em Políticas Educativas. Entender a educação como parte dos direitos humanos e articulado com os direitos econômicos, sociais e culturais. Incidir na concepção de educação como direito para toda a vida, como meio para formar sujeitos críticos, ativos que contribuam para a mudança social. Desde o acompanhamento aos acordos de Dacar e as políticas de educação de adultos e alfabetização, através das diferentes articulações do CEAAL. Incidência na promoção do Direito à Educação e às Políticas Educativas para Pessoas Jovens e Adultas. Apreciando a importância da educação no debate atual sobre o desenvolvimento social e o que o CEAAL acumulou neste campo, esta linha destaca a contribuição que pretendemos construir tanto para o acompanhamento das conferências internacionais sobre educação, quanto para o fortalecimento de coalizões nacionais para incidir nas políticas educativas.
- Eixo 4: Educação Popular e Superação de Qualquer Forma de Discriminação Tem quatro conteúdos substantivos: 1. Paradigma dos Direitos Humanos. 2. Reconhecer a diversidade humana. 3; Igualdade de gênero. Educação não sexista. 4. Igualdade étnica e cultural.
- Eixo 5: Educação Popular, Democracia Participativa e Nova Relação Governo-Sociedade. Incorporação de uma perspectiva, conforme a qual a Educação Popular contribui para o debate e a geração de propostas em torno da participação cidadã, a gestão democrática, o desenvolvimento de políticas de inclusão em coincidência com processos de gestão de governos de caráter democrático. Empoderamento das organizações popular e cidadãs e dos movimentos sociais. Formação de Capacidades para o Poder Local. A partir da Assembléia Geral de 1994, CEAAL criou uma linha de trabalho e uma rede sobre educação popular e poder local. Nestes anos, fomos testemunhas da importância crescente deste tema e da multiplicação de espaços para trabalhá-lo. CEAAL construiu uma visão e uma concepção metodológica que tenciona projetar mais neste campo. Por isso, esta linha foi definida como prioritária para estes anos. Damos ênfase à problematização do tema do desenvolvimento local sob a perspectiva do empoderamento das organizações populares e dos governos democráticos para a construção do poder local, que amplia o foco nas dinâmicas multi-atores e multidimensionais.
- Eixo 6: Gestão e Desenvolvimento Institucional do CEAAL. Esta linha se ocupa das tarefas de construção do CEAAL por ser uma associação de ONGs, em sua dinâmica institucional, e de participação co-responsável de seus filiados e diferentes instâncias organizativas. Eixos transversais. Definem dois eixos transversais que pretendem que se vejam refletidos em cada uma destas linhas: o eixo de igualdade entre os gêneros e o eixo da promoção dos Direitos Humanos. A Rede de Educação Popular entre Mulheres (REPEM) e a Rede de Educação para a Paz e os Direitos Humanos são duas das primeiras redes temáticas impulsionadas pelo CEAAL desde o começo de sua existência. As mesmas se desenvolveram de maneira consistente e sua projeção tem sido crescente. Além de apoiar o dinamismo e a ação das mencionadas redes, CEAAL quer incorporar ambos os enfoques e dimensões em suas diferentes linhas de ação e em seu próprio desenvolvimento institucional. Por isso, definiu sua transversalidade e a auto-exigência de concretizar sua importância em atividades específicas e em critérios de fortalecimento institucional.

Resultados:
- Seminário Andino “Políticas públicas na educação e a incidência da sociedade civil”, 9 e 10 de novembro. La Paz, Bolívia.
- Fórum Centro-Americano sobre incidência da sociedade civil nas políticas públicas educativas., 25 e 26 de outubro, São Salvador, El Salvador.
- Diplomação em formação de diretivos de organizações civis, junho 2001 a maio 2002, Cidade do México
- Seminário: “Os deságios das organizações civis no sexênio de Vicente Fox”, 24 e 25 de junho 2001, Cidade do México
- Constituição da mesa de conciliação das ONGs na América Latina, 20 a 22 de novembro 2000, Rio de Janeiro
- Seminário-workshop Institucionalização da Participação Cidadã, 27 a 29 de setembro, Cidade do México
- 4º Fórum Consultivo do Programa de Gestão Urbana para América Latina e o Caribe (PGU-ALC), 15 e 16 outubro, Quito, Equador
- Consulta coletiva da UNESCO com ONGs sobre “Educação para Todos”.
- Educação para Todas e Todos.
- Fórum Mundial de Educação.
- Publicações: A Educação de Pessoas Jovens e Adultas na América Latina e o Caribe. Prioridades de Ação no Século 21.
- Diálogos Paulo Freire – Edgar Morin 26 e 27 de novembro, Guadalajara, México.
- Encontro Nacional de Promotoras e Promotores do Desenvolvimento Local, 26 a 29 de novembro, Cidade do México.
- Seminário Paulo Freire, 30 de outubro ao 1º de novembro, Montevidéu, Uruguai
- Sistematização de experiências de formação de promotores e líderes sociais, setembro a dezembro 2001, México

As conquistas do CEAAL quanto ao funcionamento da Rede são: A estrutura e o funcionamento democrático da rede se fortaleceram, consolidando o papel do comitê diretivo como instância coletiva, representativa da assembléia geral e das diversas instâncias que formam o CEAAL. O vínculo com os centros filiados se fortaleceu através dos encontros nacionais de educação popular, que permitem afirmar e ampliar o impacto e a conectividade em cada país, ao mesmo tempo, os workshops anuais em cada uma das seis regiões possibilitam reunir as idéias geradas em cada país e ir gerando reflexões em nível continental. Avançou-se na priorização de estratégias e ações, o que permite o uso mais eficiente dos recursos.

Quanto à incidência social e política:
- Manteve atualizado o debate sobre a educação popular na América Latina e sua sistematização como formulação de exposições e discursos alternativos ao “pensamento único”.
- Contribuiu para a sistematização de experiências e visibilidade de práticas relevantes para o fortalecimento da sociedade civil assim como de governos democráticos locais.
- Influenciou a orientação do discurso da comunidade internacional sobre educação num sentido amplo e de emancipação, especialmente na região latino-americana, onde, junto com a UNESCO, gerou um processo que acabou tendo influência nos governos quanto à política educacional com pessoas jovens e adultas.
- Favoreceu novo marco de pensamento e práticas em relação ao governo – sociedade civil, facilitando o encontro, o intercâmbio e o diálogo entre organizações civis e os governos da região, sobretudo no âmbito educativo, no qual conseguimos maior aproximação e interação entre a chamada educação formal e não formal.
- Contribuiu para fortalecer iniciativas internacionais que favorecem a construção de alternativas e propostas de uma globalização inclusiva e humanizadora, como o Fórum Social Mundial e outras expressões nacionais da sociedade civil.
- Contribuiu para fortalecer a articulação das redes regionais e nacionais de ONGs na América Latina e o Caribe.
- Consolidaram-se o enfoque e as metodologias para a igualdade entre os gêneros -com ações afirmativas quanto ao papel das mulheres- dentro do CEAAL e em outros espaços, assim como em relação aos atores sociais e políticos
- Contribuiu para fortalecer as redes e conhecimentos sobre o poder local em nossos países e à formação de capacidades de governos e organizações locais. Incidiu na orientação das políticas da ONU para a promoção da educação para os direitos humanos.
- Animou-se a criação de um espaço interamericano de redes e instituições intergovernamentais e não governamentais para fortalecer a ação de diplomacia cidadã em nível internacional, dando ênfase à promoção de políticas e programas para a resolução pacífica dos conflitos no marco de auge de políticas de guerra preventiva lesivas à autodeterminação.

Congressos organizados regularmente
NOTA: Antiga ’Estrutura’:
- Assembléia Geral, entidade máxima de decisão que se reúne cada quatro anos.
- Comitê Diretivo, formado pelos coordenadores e coordenadoras de Redes e Regiões.
- Comitê Executivo, eleito por votação direta na Assembléia Geral, integrado por uma Presidência, uma Secretaria Geral e uma Tesouraria.
- Promotoria eleita em Assembléia. Organizados em regiões: Região Andina, Brasil, Região Caribe, Região América Central, Região Cone Sul e Região México. Conta com três redes temáticas e dois grupos de trabalho: Rede de Educação Popular entre Mulheres; Rede de Educação e Poder Local; Rede de Educação para a Paz e os Direitos Humanos; Grupo de trabalho sobre Alfabetização e Educação Básica e Programa de Sistematização.

Ano de criação: 1982

Descrição Web: Oferece informação sobre a instituição e seus membros, objetivos e linhas de ação. Estruturado por temas (incidência política da sociedade civil, fortalecimento do poder local na América Latina, incidência sobre políticas educativas, novos paradigmas e educação popular) detalha suas atividades e as de seus membros. Descreve seu organograma e cargos eleitos e permite acessar os documentos produzidos pelo CEAAl, suas assembléias, reuniões e chamadas.

Seções:
- Início; Quem somos; Filiados; Ações; Publicações; Links; Fale conosco; Galeria.
- Paulo Freire; Grupos de Trabalho; Recomende-nos.
- A Carta CEAAL; La Piragua (revista latino-americana de educação e política); Debates; Videoteca; Publicações; Bolsa de alfabetização.

Idiomas: Castelhano

Descritores: Ciências sociais, Desenvolvimento, Educação, Educação de pessoas adultas, Educação para o desenvolvimento, FIDC, 1º Fórum, 4º Fórum, Poder local, Sociedade civil, 5º Fórum

Cenários: Internacional

Linhas de Ação: Os projetos do CEAAL têm a ver com a área de educação e fortalecimento de conhecimentos e práticas das organizações da sociedade civil. Como rede continental de ONGs, os projetos visam a fomentar a troca de experiências, a geração de conhecimentos pertinentes, a sistematização de experiências e a elaboração de idéias e propostas que fortaleçam a ação das organizações da sociedade civil, o aprofundamento das práticas democráticas nos países e as possibilidades de incidência nas políticas públicas, principalmente nas políticas educativas.
Áreas geográficas de ação:
- Nacional (urbana – rural)
- Regional
- Continental
Atores sociais beneficiários: De modo direto com as ONGs, que, por sua vez, em seus respectivos países e localidades, trabalham diretamente com os diferentes setores e atores que conformam a diversidade de movimentos e sujeitos sociais. Estes, a partir de situações de pobreza, procuram reverter suas condições de vida e gerar processos de incidência nacional.

Âmbito científico: Ação social, Pesquisa e estudos

Regiões: América Latina

Funções: hierarquia superior

Tipos de Agente: Redes / Plataformas / Foros

Adscrita a:
- Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação
- Campanha Mundial pela Educação
- Comitê Nacional de Articulação e Seguimento da Educação de Pessoas Jovens e Adultas
- Conselho Assessor das Metas Educativas 2021
- Conselho Hemisférico Américas do FSA
- Conselho Internacional para a Educação de Pessoas Adultas
- Consórcio Intercultural
- Fórum de Diplomacia Cidadã
- Fórum Internacional Democracia e Cooperação
- Mesa de Articulação de Associações Nacionais e Redes de ONGs da América Latina e o Caribe
- Rede do Tratado de Educação Ambiental

Hierarquias Inferiores:
- Rede de Educação Popular e Poder Local
- Rede Latino-americana de Educação para a Paz e os Direitos Humanos

Organizações membro:
- Academia Mexicana de Derechos Humanos (AMDH)
- Ação Educativa: Assesoria, Pesquisa e Informação, Acción Educativa Santa Fe (AE)
- Acción un Maestro Más (AUMM)
- Alborada, Alfalit. El Salvador
- Alternativas de Capacitación y Desarrollo Comunitario (ALCADECO)
- Área de Formación, Capacitación y Movilización
- Asamblea Permanente de Derechos Humanos de Bolivia (APDHB)
- Asesoría Técnica a Comunidades Oaxaqueñas, A. C. (ASETECO)
- Asociación Alternativa
- Asociación Callescuela
- Asociación Civil Acción Campesina
- Asociación Cristiana de Jóvenes del Ecuador (ACJ - Ecuador)
- Asociación de Capacitación e Investigación para la Salud Mental (ACISAM)
- Asociación de Comunicadores Sociales Calandria (ACS Calandria)
- Asociación de Instituciones de Promoción y Educación (AIPE)
- Asociación de Pedagogos de Cuba (APC)
- Asociación de Publicaciones Educativas (TAREA)
- Asociación de Trabajo Interdisciplinario (ATI)
- Asociación Intersectorial para el Desarrollo Económico y Progreso Social (CIDEP)
- Asociación Nacional de Centros de Investigación, Promoción Social y Desarrollo (ANC)
- Asociación Proyecto de Desarrollo Santiago (PRODESSA)
- Asociación Salvadoreña de Educación Popular (CENCAPP)
- Associacão de Estudos, Orientacão e Assistência Rural (ASSESOAR)
- Associação de Saúde da Periferia do Maranhão (ASP-MA)
- Associação Orientação as Cooperativas do Nordeste (ASSOCENE)
- Association Radio Sel (ARS)
- Casa de Las Américas. Cuba
- Casa Pensamiento de la Mujer
- Centre de Recherche et d´Action pour le Developpement (CRAD)
- Centro Andino de Educación y Promoción José María Arguedas (CADEP)
- Centro Asesor y Planificador de Investigación y Desarrollo (CAPIDE)
- Centro Comunal El Carmen
- Centro Cultural Poveda, Centro de Ação Comunitaria (CEDAC)
- Centro de Apoyo al Movimiento Popular de Occidente (CAMPO)
- Centro de Asistencia Legal Popular (CEALP)
- Centro de Assessoria Multiprofissional (CAMP)
- Centro de Capacitación del Campesinado de Azuay (CECCA)
- Centro de Capacitación para el Desarrollo (CECADE)
- Centro de Capacitación Social (CCS)
- Centro de Comunicación Popular de Honduras (CENCOPH)
- Centro de Comunicación Popular y Asesoramiento Legal (CECOPAL)
- Centro de Comunicación y Capacitación para el Desarrollo Comunica
- Centro de Comunicación y Educación Popular Cantera (CANTERA)
- Centro de Educação e Cultura Popular (CECUP)
- Centro de Educación en Apoyo a la Producción y al Medio Ambiente (CEP-PARRAS)
- Centro de Educación Popular, Asesoría e Investigación (Sur CEPAI)
- Centro de Educación Promocional Agraria (CEPA)
- Centro de Educación y Capacitación Integral Hna. Maura Clarke
- Centro de Educación y Comunicación (ILLA)
- Centro de Educación y Promoción Popular (CEPP)
- Centro de Educación, Capacitación y Tecnología Campesina (CECTEC)
- Centro de Encuentros y Diálogos (CED)
- Centro de Estudios de la Mujer. Chile (CEM)
- Centro de Estudios Ecuménicos (CEE)
- Centro de Estudios Educativos. República Dominicana (CEED)
- Centro de Estudios Sociales y Ecológicos (CESE)
- Centro de Estudios y Acción Social Panameño (CEASPA)
- Centro de Estudios y Difusión Social (CEDIS)
- Centro de Estudios y Formación para el Ecodesarrollo Alter Vida (ALTER VIDA)
- Centro de Estudios y Promoción del Desarrollo. Honduras (CEPROD)
- Centro de Estudios y Publicaciones Alforja (CEP-ALFORJA)
- Centro de Estudios, Promoción y Asistencia Social (CEPAS)
- Centro de Estudos e Pesquisas ’Josué de Castro’ (CJC)
- Centro de Formación y Estudios sobre las Relaciones Interamericanas (CIERI)
- Centro de Información y Desarrollo de la Mujer (CIDEM)
- Centro de Investigación para la Acción Femenina (CIPAF)
- Centro de Investigación y Apoyo Cultural (CIAC)
- Centro de Investigación y Educación Popular (CIEP)
- Centro de Investigación y Promoción Educativa y Social (CIPES)
- Centro de Investigación y Promoción Franciscano Ecológico (CIPFE)
- Centro de Investigación y Promoción Social (CIPROS)
- Centro de Investigación, Planeación y Evaluación (CIPE)
- Centro de Investigaciones CIUDAD (CIUDAD)
- Centro de Investigaciones y Promoción Amazónica (CIPA)
- Centro de la Mujer Peruana Flora Tristán
- Centro de Promoción de la Mujer Gregoria Apaza (CPMGA)
- Centro de Promoción de Técnicas en Arte y Cultura (CENPROTAC)
- Centro de Promoción Ecuménica y Social (CEPECS)
- Centro de Promoción Minera (CEPROMIN)
- Centro de Servicios Educativos en Salud y Medio Ambiente (CESESMA)
- Centro Dominicano de Educación Ecológica (CEDECO)
- Centro Dominicano de Estudios de la Educación (CEDEE)
- Centro Ecuatoriano para la Promoción y Acción de la Mujer (CEPAM)
- Centro Ecuménico de Educación Popular (CEDEPO)
- Centro Guarura, Centro Latinoamericano de Trabajo Social (CELATS)
- Centro Laubach de Educación Popular Básica de Adultos (CLEBA)
- Centro Memorial ’Dr. Martin Luther King Jr’ (CMMLK)
- Centro Michoacano de Investigación y Formación Vasco de Quiroga (CEMIF)
- Centro Nacional de Comunicación Social (CENCOS)
- Centro para la Educación y Capacitación Ambiental, Agua, Vida y Biodiversidad
- Centro para la Participación Democrática y El Desarrollo (CENZONTLE)
- Centro Paraguayo de Cooperativismo (CPC)
- Centro Popular para América Latina en Comunicación (CEPALC)
- Centro ´Cida Romano´ - Instituto Sedes Sapientaiae (CECIR-CEPIS)
- Ciudad Alternativa
- Comisión Cristiana de Desarrollo (CCD)
- Comisión Episcopal de Educación - Programa Feria (CEE - FERIA)
- Comisión para la Defensa de los Derechos Humanos en Centroamérica (CODEHUCA)
- Comisión por la Defensa de los Derechos Humanos (CDDH)
- Comité de Acción Social Ecuménico Puertorriqueño. Taller de Educación Alternativa (CASEP-TEA)
- Comité Para la Defensa de la Salud, la Ética Profesional y los Derechos Humanos (CODESEDH)
- Consejo Coordinador de Instituciones de Promoción Humana de El Salvador (CIPHES)
- Consejo de Pueblos Mayas de Guatemala (COPMAG)
- Corporación Educativa para el Desarrollo Costarricense (CEDECO)
- Corporación Integral para el Desarrollo Cultural y Social (CODECAL)
- Corporación para el Desarrollo del Oriente ’Compromiso’
- Corporación Privada para la Educación y el Desarrollo Local El Canelo
- Dimensión Educativa, Educación y Comunicaciones (ECO)
- Enlace, Comunicación y Capacitación
- Equipe Técnica de Assessoria, Pesquisa e Ação Social (ETAPAS)
- Equipo de Educación y Autogestión Social (EDAPROSPO)
- Escola de Formação Quilombo Dos Palmares (EQUIP)
- Esplar. Centro de Pesquisa e Assessoria
- Federación de Mujeres Cubanas (FMC)
- Fundação de Desenv. Educação e Pesquisa de Região de Celeiro (FUNDEP)
- Fundação de Integração, Desenvolvimento e Educação do Noroeste do Estado (Fundação FIDENE)
- Fundación Cabichui
- Fundación de Educación Popular (CIAZO)
- Fundación Ecuménica de Cuyo
- Fundación entre Volcanes
- Fundación Foro Nacional por Colombia (FORO)
- Fundación Latinoamericana de Apoyo al Saber y la Economía Popular (FLASEP)
- Fundación para la Comunicación Popular (FUNCOP)
- Fundación Promotora de Cooperativas (FUNPROCOOP)
- Fundación Salvadoreña para la Promoción del Desarrollo Social y Económico (FUNSALPRODESE)
- Groupe Haitien de Recherches et d´Actions Pedagogiques (GHRAP)
- Grupo Aportes
- Grupo de Apoyo Mutuo (GAM)
- Grupo Social Centro al Servicio de la Acción Popular (CESAP)
- Iniciativa para la Democracia, Educación y Acción Social (Fundación Ideas)
- Institut d´Education et d´Appui por un Développement Intégré (INEADI)
- Instituto Bartolomé de las Casas (IBC)
- Instituto Cooperativo Interamericano (ICI)
- Instituto de Defensa Legal (IDL)
- Instituto de Desarrollo Urbano (CENCA)
- Instituto de Diálogo y Propuestas (IDS)
- Instituto de Educación para el Desarrollo Rural (INEDER)
- Instituto de Estudios y Acción Social (IDEAS)
- Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais (Instituto PÓLIS)
- Instituto de Formación Femenina Integral (IFFI)
- Instituto de Formación y Capacitación Juvenil (FOLICO)
- Instituto de Governo e Cidadania do ABC (IGC)
- Instituto de Investigación y Capacitación Pedagógica y Social (IIPS)
- Instituto de Investigación y Desarrollo (IDES)
- Instituto de Investigación, Capacitación y Desarrollo de la Mujer (IMU)
- Instituto de Investigación, Educación y Promoción Popular del Ecuador (INEPE)
- Instituto de Promoción Económico Social del Uruguay (IPRU)
- Instituto del Hombre (IDH)
- Instituto Ecoar para a Cidadania, Instituto Hondureño de Desarrollo Rural (IHDER)
- Instituto Multifuncional (CEDOPE)
- Instituto Nicaragüense de Investigación y Educación Popular (INIEP)
- Instituto para el Desarrollo y la Democracia (IPADE. Nicaragua)
- Instituto para la Promoción en el Campo del Envejecimiento (AÑOS)
- Instituto Peruano de Educación en Derechos Humanos y la Paz (IPEDEHP)
- Instituto Popular de Capacitación (IPC)
- Instituto Radiofónico Fe y Alegría (IRFACRUZ)
- Instituto Regional de Educación y Promoción Social (IREPS)
- Jaruajperakua, Ayuda Mutua, Kolping de Colombia
- Luz Viva, Movimiento Cristiano CALEB
- Movimiento Ecuménico Nacional de Puerto Rico (MENPRI)
- Movimiento Paulina Luisi, Mujeres para el Diálogo
- Multiversidad Franciscana de América Latina (MFAL)
- Nova Pesquisa e Assessoria em Educação (NOVA)
- Novamerica, Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão em Educação de Jovens e Adultos e em Educação Popular (NUPEP)
- Plataforma Interamericana de Derechos Humanos, Democracia y Desarrollo (PIDHDD)
- Plenario de Mujeres del Uruguay (Fundación PLEMUU)
- PROCESO, Servicios Educativos, Programa de Desarrollo de Investigación Social (PRODIS-YANAPAKUNA)
- Programa Interdisciplinario de Investigaciones en Educación (PIIE)
- Proyectos Laubach de Alfabetización en México (PLAMAC)
- Red Alforja, Red de Apoyo por la Justicia y la Paz (REDAPOYO)
- Rede Brasileira de Educação em Direitos Humanos (RBEDH)
- Rede Mulher de Educação (RME)
- Sendas para la Educación Popular, Servicio a la Acción Popular (SEAP)
- Servicio Colombiano de Comunicación (SCC)
- Servicio Paz y Justicia de Chile (SERPAJ - Chile)
- Servicio Paz y Justicia del Uruguay (SERPAJ - Uruguay)
- Servicio, Desarrollo y Paz (SEDEPAC)
- Servicios Jurídicos y Sociales, S.C. (SERJUS)
- Sociedad Cultural José Martí (SCJM)
- Sociedade para Defesa do Meio Ambiente de Piracicaba (SODEMAP)
- Teatro Taller Tecolote
- Unión de Instituciones Cruceñas (UNICRUZ)
- Unión Regional de Ejidos de Producción y Comercialización Agropecuaria de Costa Chica
- Vereda Centro de Estudos em Educação
- Vicaría de Pastoral Social (VPS)

Ver em linha : http://www.ceaal.org/

Tejiendo Redes.
C/ Hermanos García Noblejas, 41, 8º. 28037 - MADRID.
Tlf: 91 4084112 Fax: 91 408 70 47. Email: comunicacion@fidc.gloobal.net

SPIP |