Crônicas

Morte de Chávez, uma perda imensa para os povos que sofrem

quinta-feira 7 de Março de 2013

Todas as versões deste artigo : [English] [Español] [français] [Português]

Fonte: Pambazuka news.

Assunto: Morte de Chávez.

As palavras-chave: Venezuela, Hugo Chávez, morte.

Dor e tristeza tomaram conta de nós quando soubemos da morte do amigo da esmagadora maioria dos venezuelanos e dos Povos do Sul, o presidente Hugo Chávez Frías, Presidente da República Bolivariana da Venezuela.

Sensibilizados pela lamentável perda, os povos do mundo que sofrem experimentaram a mesma dor que sentiram pela morte brutal do presidente Thomas Sankara, na África, ou pela do Che na Bolívia, só para mencionar alguns líderes carismáticos do Terceiro Mundo. Seu enorme compromisso com a libertação e o progresso social de seu país e dos povos oprimidos encontrou espaço nos corações dos deserdados politicamente conscientes.

Ademais, este compromisso do grande líder acabou com o sonho dos inimigos, levando-os inclusive a perder a decência durante a doença e depois do anúncio de sua morte. Seu principal adversário no mês de outubro passado, já se sentia “eleito” ao dirigir-se à nação sob o pretexto de convocar à “unidade”.

Ao oferecer os nossos mais sentidos pêsames ao governo, ao povo da Venezuela, à sua família e a todos os seus companheiros, fazemos votos para que os seus amigos continuem e aprofundem a obra do Presidente Chávez na luta pela dignidade e a libertação.

* Ababacar Fall-Barros ex-coordenador de Grila – Senegal.

“SENTIA PELA ÁFRICA UMA ESPÉCIE DE RESPEITO COMOVEDOR”

Por Justin Morel Junior.

”Quase quatro mandatos, quatro cirurgias superaram o campeão do antiamericanismo, o intrépido Presidente Hugo Chávez da Venezuela, que morreu esta terça-feira, 05 de março de 2013, deixando atrás um povo inconsolável e grato pela dinâmica de desenvolvimento que soube instaurar no seu país, como marxista convencido, familiar e jovial. No Ocidente, alguns viam nele o dirigente bonachão, mas a maioria do seu povo via nele o herói dos pobres e dos humildes. Sua oratória voraz, sua paixão pela liberdade dos oprimidos e seu compromisso sem falhas durante 14 anos a serviço do seu país, farão dele um símbolo de luta, com as fraquezas do homem e a força do líder carismático. Sentia pela África um respeito comovedor, uma espécie de humildade fecunda, em recordação de uma história compartilhada.”

* Justin Morel Junior é jornalista (fonte: guineeconakry.info)

HUGO CHÁVEZ E SUAS AMIZADES NA ÁFRICA

O presidente venezuelano Hugo Chávez morreu ontem à tarde, aos 58 anos. América do Sul está conturbada, e a África também. Com efeito, Hugo Chávez era um dos amigos de Mouammar Kadhafi, ex-ditador líbio. Em 2009, quando Mouammar Kadhafi, ainda dirigia a Líbia, decidiu construir um gigantesco estádio de futebol com capacidade de 100 000 pessoas. Como expressão de amizade e profundo respeito, o ditador quis dar ao estádio o nome de « Hugo Chávez Football Studium » em reconhecimento ao seu programa revolucionário na Venezuela e pelo seu papel no futuro da América do Sul.

http://bit.ly/12u4938

HUGO CHÁVEZ MORREU, O EXÉRCITO ESTÁ NAS RUAS PARA GARANTIR A PAZ.

Recebemos a notícia terça-feira, 05, à tarde na Venezuela: “Recebemos a informação mais dura e trágica que pudesse ser dada ao nosso povo. Às 16.25h (20.55h GMT) morreu o nosso Comandante Presidente Hugo Chávez Frías”, declarou em alocução transmitida por todas as cadeias de televisão do país, o vice-presidente e sucessor indicado Nicolás Maduro, com lágrimas nos olhos. Depois do anúncio foram declarados sete dias de luto nacional. As exéquias de Hugo Chávez serão realizadas sexta-feira, 08 de março. Nicolás Maduro será presidente encarregado, apesar de a Constituição Venezuela estipular que este posto deve ser ocupado pelo Presidente da Assembléia.

http://bit.ly/WFqQte

HUGO CHÁVEZ: A MORTE DO COMANDANTE

Ninguém mais tinha dúvidas a respeito do esperado desfecho. Apesar dos comunicados “oficiais” tranqüilizadores, a Venezuela se preparava para a morte do seu herói. As idas e vindas de Hugo Chávez entre Caracas e Havana não enganavam ninguém. O estado de saúde do Comandante era desesperador. No final de fevereiro, soube-se que sua “insuficiência respiratória não evoluía favoravelmente”. A 1º de março, o vice-presidente Nicolás Maduro assinalava: “O nosso Presidente batalha por sua vida”. Na semana passada, os rumores afirmavam que estava clinicamente morto. Mesmo assim, os venezuelanos estão em estado de choque.

http://bit.ly/13F0Sh5

O GOVERNO CHINÊS DEPLORA A MORTE DE HUGO CHÁVEZ.

Oficialmente, devido à proximidade ideológica e aliança contra o “imperialismo” dos Estados Unidos, e concretamente porque Pequim fez fortes investimentos na Venezuela no setor petrolífero, é natural que o inquiete o futuro desse enclave estratégico. Lamenta a morte do dirigente “irmão” socialista, bem como do aliado antiimperialista “ianque” no coração da zona de influência tradicional. Interesses chineses concretos e de muito peso estão em jogo na Venezuela pós-Chávez.

http://huff.to/XWji5Y

HUGO CHÁVEZ ESTÁ MORTO HÁ DOIS ANOS

Desde que foi anunciada sua doença e até sua morte, a Venezuela viveu vinte meses em meio a informações verdadeiras e falsas sobre o estado de saúde de seu Presidente, difundidas principalmente pela imprensa estrangeira e as redes sociais diante da comunicação morna do governo. Dezoito meses serviram de marco para o jogo de gato e rato com o propósito de que o governo de Caracas oferecesse o máximo de informações sobre a saúde do presidente. Neste processo, alguns meios de comunicação como os jornais espanhóis ABC e El País, ilustraram melhor a situação.

http://bit.ly/ZaCDn6

Tejiendo Redes.
C/ Hermanos García Noblejas, 41, 8º. 28037 - MADRID.
Tlf: 91 4084112 Fax: 91 408 70 47. Email: comunicacion@fidc.gloobal.net

SPIP |