Nakba 2013: O Movimento Juvenil Palestino comemora o 65º aniversario de Al Nakba (Introdução)

sexta-feira 17 de Maio de 2013

Todas as versões deste artigo : [English] [Español] [Português]

Fonte: Movimento Juvenil Palestino.

As palavras-chave: Palestina, Nakba, Resistência.

O Estado sionista surgiu no dia 15 de maio de 1948, há 65 anos. Faz 65 anos começou a nossa fragmentação coletiva e simultânea Resistência. Os tempos atuais marcam significativo giro na nossa história não só como palestinos, mas também como jovens árabes colonizados no mundo atual. É verdade que existem fortes sentimentos de ruptura e destruição das comunidades árabes e palestinas, mas devemos reconhecer as nossas histórias de resistência, refletir sobre as mesmas e comemorá-las. As nossas histórias devem ser o combustível da criação de uma nova e forte resistência para a nossa geração e para as gerações futuras. Sem dúvida, a atual fase poderia ser uma das mais difíceis, porém, ao mesmo tempo, cria flexibilidades e possibilita o ressurgimento criativo de um legado que conduzirá à nossa libertação e à nossa volta.

Preparamos este folheto para oferecer enfoques novos e internos e enquadrar a comemoração atual. Após sessenta e cinco anos e múltiplas gerações, parece que só podemos ter certeza de uma coisa: é preciso modificar as coisas. Ao decurso destes anos, a retórica em torno da nossa luta em prol da justiça se diluiu, enfraqueceu e se dividiu em muitas direções diferentes à medida que interesses e poder se modificavam; de tal modo que se torna difícil ver a possibilidade de criar um movimento popular e de base atento às necessidades das massas e não aos interesses de um punhado. No quadro da justiça e a libertação, se oferece uma plataforma para a incorporação das lutas de todos os povos, e não só do povo palestino, mas também da região e do mundo, para participar de movimentos mais amplos. Neste sentido, buscamos construir quadros totalmente nacionalistas a fim de criar uma visão mundial que incorpore a libertação para todos os povos colonizados e oprimidos no mundo. A justiça e a luta de libertação em diferentes contextos dependem uma da outra, porque os sistemas que garantem as diferentes formas de opressão são, de fato, as mesmas.

Neste folheto, você poderá encontrar vários artigos elaborados por diferentes membros do Movimento Juvenil Palestino que oferecem retrospectiva histórica da Nakba e da nossa história. As histórias têm a ver com assuntos críticos nas nossas comunidades. Estes artigos tentam reescrever a nossa história e como entendê-la, para além de oferecer novos quadros para compreender a história que nos levou à conjuntura atual. Este folheto centra-se especificamente na nossa história com sessenta e cinco anos de Nakba em foco e dando especial atenção ao direito ao retorno, refúgio e exílio de várias perspectivas. Oferece contextos para colonialismo-colonizador, libertação anticolonial, império e neocolonialismo, a partir de um enfoque baseado nos direitos, nas dimensões palestinas e árabes, e perspectivas de uma nova geração. Continuamos criticando as nossas divisões atuais e as que encontramos ao longo da nossa luta; na sua história existem certas práticas que podemos preservar ou retomar, para utilizá-las de guias no que diz respeito a como impulsionar a nossa luta, a fim de superar as contradições que estamos questionando.

À luz do 65º aniversário, este leitor tem um enfoque especial na Palestina – a Nakba, o direito ao retorno, deslocamento e exílio e a política de ocupação e colonização. Os documentos que seguem oferecem um panorama intenso e crítico de como examinar a nossa história, para alcançar um futuro construtivo. Neste folheto, você encontrará uma análise profunda dos diversos enfoques que lhe permitirá refletir mais profundamente sobre como realizar o nosso trabalho. Compreendendo e compartilhando o conteúdo do folheto, e levando em conta a nossa prática diária, estou propondo que sejamos capazes de superar estas histórias, mas não esquecê-las, ligando-as a um contexto e a uma luta mais vasta. Dadas as considerações geopolíticas atuais da nossa região e do mundo, já não podemos focar a Palestina isolada. Palestina é o centro da libertação e conta com as suas próprias especificidades, mas a cada dia se torna mais importante que batalhemos para tirar a nossa luta do isolamento mediante o estabelecimento de vínculos com outras lutas contra a opressão e em prol de um mundo melhor. Este folheto analisa profundamente, com enfoque crítico, teórico e pragmático a situação, com a esperança de que expandindo a nossa perspectiva em relação à Palestina, estaremos abrindo as portas para um enfoque mais atento do ponto de vista político e mais vasto em direção à Palestina, a justiça e a libertação. Com estas palavras, espero que você encontre as páginas seguintes esclarecedoras, cativantes, provocadoras, e à medida que recordemos as antigas conversações, estimularemos as novas.

E os sessenta e cinco anos de luta em prol da justiça e da libertação continuam...

O folheto Nakba do Movimento Juvenil Palestino 2013 inclui artigos, desenhos animados e poesia da autoria de membros do Movimento Juvenil Palestino. A seguir, aparece o sumário completo do folheto.

Acesse este site para ler completo o Folheto Nakba do Movimento Juvenil Palestino 2013 Aqui

Tejiendo Redes.
C/ Hermanos García Noblejas, 41, 8º. 28037 - MADRID.
Tlf: 91 4084112 Fax: 91 408 70 47. Email: comunicacion@fidc.gloobal.net

SPIP |